segunda-feira, 10 de julho de 2017

Pesquisa realizada na Santa Casa aborda a construção de um software para a segurança do paciente em unidade pediátrica

As crianças constituem-se em um grupo vulnerável a patologias e à hospitalização, deste modo, compreende-se a necessidade de um acompanhamento longitudinal na unidade hospitalar, na perspectiva de atender as suas peculiaridades biológicas e psicossociais, bem como minimizar situações de risco que agravem seu estado de saúde e conduza a morte. 

Nesse sentido, verificando-se a necessidade de elaborar um instrumento que promovesse a segurança das crianças durante a permanência na unidade pediátrica, bem como auxiliasse e facilitasse os profissionais de enfermagem no campo de atuação a implementação de cuidados para uma assistência efetiva, a partir das necessidades singulares dos pacientes, o acadêmico João Victor Lira Dourado do curso de Enfermagem do Instituto Superior de Teologia Aplicada (INTA) e pesquisador pelo Grupo de Pesquisa Promoção e Educação em Saúde de Pessoas em Estado de Vulnerabilidade (GRUPPESPEV) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), sob orientação da Profa. Me. Francisca Alanny Rocha Aguiar do curso de Enfermagem do INTA, elaborou um projeto de pesquisa para a Implementação de uma tecnologia para a segurança do paciente em unidade pediátrica em um hospital de ensino da Zona Norte do estado do Ceará. 

Projeto
A primeira etapa do projeto de pesquisa configura-se na construção do software a partir de sete etapas, a saber: Levantamento de requisitos; II) Análise de requisitos; III) Especificação de requisitos; IV) Projeto do software; V) Implementação ou codificação; VI) Testes do software e VII) Manutenção do software, cuja será financiada pelo Departamento de Ensino, Pesquisa e Extensão (DEPE) da Santa Casa de Misericórdia de Sobral por meio do Edital nº 02/2017 e contará com a colaboração de outros pesquisadores para a concretização do estudo, como o acadêmico do curso de Enfermagem do INTA Francisco Antonio Carneiro Araújo, a docente do curso de Enfermagem do INTA Profa. Me. Amélia Romana Almeida Torres e a enfermeira da Santa Casa de Misericórdia de Sobral Camila Rodrigues Lopes França.

Os autores acentuam a compreensão quanto as dificuldades assistenciais e gerenciais decorrentes da falta de instrumentos específicos no ambiente hospitalar, bem como da grande demanda de atividades a serem realizadas pelos profissionais de enfermagem em campo de atuação, portanto, acreditando-se que o instrumento a ser elaborado, por constituir-se em um recurso leve, de fácil acesso e eletrônico, facilitará e qualificará os profissionais do serviço na prestação de uma assistência de qualidade e eficiente, proporcionando cuidados humanizados, conforto e segurança ao paciente, bem como minimizando/erradicando desconfortos, acidentes e eventos adversos decorrentes da permanência hospitalar. 

Ademais, o conhecimento sobre a situação do paciente na unidade hospitalar poderá subsidiar o profissional de saúde no planejamento e implementação de programas assistenciais que melhor atendam às suas necessidades, auxiliando na distribuição diária de atendimento a cada paciente, bem como apresentando relevantes informações para a organização do serviço e o dimensionamento de pessoal para a equipe de enfermagem. Outrossim, o emprego do software no serviço de saúde funcionará como um sistema de subsídio inteligente que auxiliará na tomada de decisões clínicas, facilitando o gerenciamento das informações, organização e, servindo de base para o cuidado. Como também tornar-se-á ferramenta colaborativa para melhoria dos processos na busca da excelência pelo cuidado, favorecendo a acreditação da qualidade da assistência e da instituição hospitalar. 
João Victor Lira Dourado e Francisca Alanny Rocha Aguiar (Acadêmicos Enfermagem/INTA)

Nenhum comentário:
Write comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.